surtohype.com

Just another WordPress weblog

A volta de Tarantino

By admin • Apr 22nd, 2004 • Category: cultura

Kill BillVolta triunfal de Tarantino garante diversão e pancadaria no ótimo Kill Bill entra em cartaz.

Parado desde seu último trabalho (Jackie Brown em 1997), após sete anos, o diretor e roteirista Quentin Tarantino volta à ativa neste frenético e divertido thriller de ação sobre vingança, artes marciais e espadachim, com direito a enxurradas de sangue e muito charme!


The Bride (Thurman) é uma das mais perigosas integrantes de um grupo de mulheres assassinas. No dia de seu casamento, o líder Bill (Carradine), seu noivo, e suas comparsas viram-se contra ela, ferindo-a seriamente. Cinco anos depois, ela desperta do coma provocado pelo ataque e parte em busca de vingançaa. Primeiro, ela se prepara para acabar com suas ex-companheiras, deixando o líder Bill por último. Devido à longa duração, o filme foi dividido em duas partes.

O objetivo está no título: Kill Bill ou matar Bill. O roteiro é sensacional, parece que estamos lendo um livro. A simples e agitada história, em ritmo impetuoso e empolgante, acompanha uma narração estilo Pulp Fiction que mescla humor negro, desenho animado japonês, flash backs e muita ação.

A química entre humor e ação funciona na dose certa. Há cenas sacadas e situações hilárias durante as lutas, principalmente no combate final em que a personagem de Uma Thurman exibe um balé com espadas lutando contra dezenas de espadachins. Cortesia de Yuen Wo-Ping, o mesmo coreógrafo de Matrix, fez em Kill Bill o que muita gente esperava ver em Matrix Reloaded e não viu: embates com espadas samurais. É espetacular.

O elenco esbanja talento e charme a começar com a bela Uma Thurman (O Pagamento), Lucy Liu (As Panteras), David Carradine (Alta Tensão) e Michael Madsen (Cães de Aluguel).

kb1.gifCom a violência bastante acentuada, Tarantino apresenta uma direção diferente, às vezes inovadora, fazendo com que seus filmes sejam alternativos e interessantes sempre com histórias bacaníssimas que brinca com a ordem cronológica dos fatos.

O único problema é que a história não termina por aí e tem um final cortado. Kill Bill quando terminado tinha uma duração acima de três horas. Em função de uma jogada de marketing, o diretor dividiu o filme: Vol. 1 e Vol. 2. Que venha logo a continuação!

(Kill Bill: Vol. 1/EUA/2003) * * * * *

Por: Ricardo Morgan
fotos: Divulgação

Tagged as:

admin is
Email this author | All posts by admin

Comments are closed.