surtohype.com

Just another WordPress weblog

Positive Education

By admin • Apr 8th, 2003 • Category: contos

positiveeducation.jpg
O cara fazia parte de uma turma que n?o era a minha. E fazia exatamente o meu tipo. Cruzei com ele pela primeira vez no Shopping Iguatemi e pude constatar o que uma amiga dizia sobre ele e que eu tentava deduzir pelas fotos que acabavam em minhas m?os.


positiveeducation.jpgO cara fazia parte de uma turma que n?o era a minha. E fazia exatamente o meu tipo. Cruzei com ele pela primeira vez no Shopping Iguatemi e pude constatar o que uma amiga dizia sobre ele e que eu tentava deduzir pelas fotos que acabavam em minhas m?os. Fiz um elogio indireto pra ele na certeza de que ficasse sabendo. Tempos depois, eu estava numa festa de um amigo em comum e ele apareceu. Com a namorada. Nos cumprimentamos, fui apresentada a tal namorada, a Gabi, mas um papo n?o engatou. Se bem que, por diversas ocasi?es ficamos bem pertinho uns dos outros. Cheguei a ficar sentada ao lado da Gabi. No final, eu nem percebi quando foram embora. Fiz novo elogio e a forma com o que o mesmo chegasse a ele, foi mantida.

? t?o f?cil lembrar o que aconteceu depois disso. Recebi um email dele, mas n?o respondi. Recebi outro e ent?o engatamos uma conversa online. Quando ele me disse que lembrava exatamente a primeira vez que tinha me visto, descrevendo a roupa que eu vestia, fiquei babando na frente do computador. De repente, do nada, ele diz que a Gabi tinha sonhado comigo… at? hoje n?o acreditei muito nesta est?ria… mas, como eu estava pilhada pra beijar este cara, entrei na onda dele. Na mesma semana est?vamos os tr?s num bar nos Jardins, conversando e se comportando como se f?ssemos velhos amigos. A descontra??o rolava solta. O ?lcool fazia o seu papel. Quando a Gabi se levantou para ir ao banheiro, segundos depois ele me pediu para ir atr?s dela. Eu fui, bat? na porta, entrei e a gente se beijou de cara por um tempo. Eu gostava de beij?-la e depois olhar pra nossa imagem refletida no espelho, sob aquela luz meio fraca que deixava tudo mais bonito. Ela era linda.

E era a primeira vez que beijava uma garota. De t?o nervosa, r?a, r?a e muito. Eu dizia que ela tinha de relaxar. Quando voltamos pra mesa, a cara dele era linda, ansiosa. E aposto que estava a ponto de enlouquecer com a situa??o. N?o me lembro ao certo, mas parece que a Gabi foi ao banheiro de novo. E ele me mandou segu?-la de novo. Mas antes, eu peguei a m?o dele e coloquei discretamente num de meus seios. Ele j? tinha me dito que adorava seios. E meus seios estavam especialmente bonitos naquela noite, soltos naquela camisetinha preta e justa. ? com o tempo voc? vai perceber que eu adoro provocar. – Ele pegou, disse uma besteira qualquer e eu fui atr?s da Gabi. Quando voltamos ele ordenou: vamos embora daqui! Entramos no carro dele, que percorreu por um tempo e parou em alguma rua do Planalto Paulista. Os dois no banco da frente e eu atr?s. Num piscar de olhos est?vamos os 3 no banco de tr?s. N?o sei por quanto tempo a gente ficou l?. Eu beijava ela que beijava ele que me beijava. Parecia tudo surreal e delirante demais pra mim. O c?u era o limite. Lembro dela pedindo a ele: beija a Ginger. A gente tirou a roupa. E coisas meio turvas aconteceram. Acho que eles transaram rapidinho, com ela sentada sobre ele. E eu olhando a cena, techno do Slam rolando no som do carro. Ele me chupava, ela me beijava. E eu coloquei minha boca nela, l?, naquele lugar. Era a primeira vez que fazia isso e estava curtindo o delicioso momento.

Eu costumava dizer que jamais transaria uma garota. Agora j? n?o sei mais. Depois demos uma acalmada e resolvemos ir embora. Mas ela ficou no banco de tr?s comigo enquanto ele dirigia e de vez em quando olhava pra n?s e passava mal… no dia seguinte a gente se falou, e constatamos que estava tudo bem, que todos t?nhamos pirado na experi?ncia e quer?amos mais. Na verdade ainda queremos mais. Queremos ir at? o final.

Por Ginger

admin is
Email this author | All posts by admin

Comments are closed.